Campos dos Goytacazes
São João da Barra
São Francisco de Itabapoana
Italva
Cardoso Moreira

Campos dos Goytacazes, Quarta, 19 de Setembro de 2018

Projeto torna OAB legítima para ajuizar ACP

PLS 686/15 tramita no Senado e altera lei 7.347/85 - lei da ação civil pública.(Imagem - Reprodução)


29/08/2018 11h17

Fonte: Site Migalhas

Tramita no Senado, o PLS 686/15. A proposta altera a lei 7.347/85 – lei da ação civil pública – e inclui a OAB no rol de legitimados ativos para proposição de ação civil pública.

De acordo com a legislação atual, têm legitimidade para propor esse tipo de ação o MP, a Defensoria Pública, a União, os Estados, o DF e os municípios; autarquias, empresas públicas, fundações e sociedades de economia mista e associações que se enquadrem nos parâmetros estabelecidos pelo artigo 5º da lei.

Segundo o autor do projeto, senador Cássio Cunha Lima, a OAB deve ser incluída no rol de legitimados ativos em razão de seu papel relevante na "conquista e consolidação do Estado Democrático de Direito".

O senador argumenta que o Conselho Federal da Ordem foi autorizado pela Constituição Federal a propor ações diretas de inconstitucionalidade e declaratórias de constitucionalidade no STF. "Assim, por uma questão de coerência e tendo em vista a importância das ações coletivas para fiscalização da ordem jurídica e tutela dos direitos coletivos é que se propõe a inclusão da OAB no rol de legitimados para a propositura da ação civil pública", pontuou o autor.

O relator da matéria na CCJ do Senado, senador Antonio Anastasia, durante votação na qual a proposta foi aprovada, há precedentes no STF e no STJ que consideram a Ordem legitima para propor ACPs. "A aprovação do projeto garantirá, de forma inequívoca, a possibilidade de utilização desse relevante instrumento pela OAB em defesa dos direitos coletivos de forma geral."

Na CCJ, o texto foi aprovado por maioria. O senador Ronaldo Caiado discordou do mérito do projeto ao sustentar que a prerrogativa de propor ação civil pública deve ser de órgãos típicos de Estado, o que não é o caso do Conselho Federal da OAB. O parlamentar ainda avaliou que a OAB pode fazer uso político do instrumento.

Atualmente, o PLS 686/15 está na pauta de deliberação do plenário do Senado. No entanto, antes de votação, os senadores deverão analisar requerimento de autoria do senador Davi Alcolumbre para que o projeto seja apreciado também pela comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor – CTFC da Casa.